ANTAQ faz um Raio X da Cabotagem Brasileira

A frota brasileira de cabotagem tem 147 embarcações disponíveis para o transporte, que são operadas por 32 empresas, de portes variados. A tonelagem total da frota é de 2.929.073, sendo sua idade média de 18,4 anos, considerada elevada.

Esses e outros números estão no “Raio X da Frota Brasileira na Navegação de Cabotagem – principais empresas e suas frotas”, elaborado pela Superintendência de Navegação Marítima e de Apoio (SNM), da ANTAQ.

O objetivo do trabalho é medir a capacidade de transporte da frota brasileira na navegação de cabotagem, por empresa operadora e por tipo de embarcação, em Tonelagem de Porte Bruto – TPB. A TPB é a diferença entre o deslocamento bruto e o líquido da embarcação, ou seja, o que pode ser transportado em carga, combustível e equipagem (tripulação).

No trabalho da ANTAQ, foram adotadas informações referentes às embarcações em operação nas empresas, em 1º de setembro de 2010. Com isso, as embarcações que são afretadas têm sua TPB considerada nas empresas em que operam, e não na sua proprietária.

O estudo mostra que houve um crescimento de 7,3% da frota de cabotagem nos últimos quatro anos, devido ao aumento do número de embarcações dos tipos barcaça, porta-contêiner e cargueiro.

Já a capacidade total de transporte por tonelagem apresentou um decréscimo de 10,6% no período, decorrente da redução do número de petroleiros e graneleiros, que são as maiores embarcações.

Contudo, de acordo com o estudo, “os Programas de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (PROMEF) e do Programa EBN permitem antever a renovação da frota brasileira de cabotagem até 2014/2015, com a expansão da frota em 51%, e o aumento da capacidade de transporte em 151%, além da decorrente redução da idade média geral”.

Segundo o levantamento da ANTAQ, 82,4% das empresas que atuam na navegação de cabotagem opera com embarcações próprias, cabendo às embarcações afretadas uma participação de 17,6% em relação ao total da tonelagem de porte bruto.

A maior frota brasileira é a da Petrobras, com 42 embarcações, todas próprias. O número representa 28,6% do quantitativo total de embarcações e 46,2% do total nacional em tonelagem de porte bruto.

Em seguida, aparecem a Companhia de Navegação Norsul e a Empresa de Navegação Elcano, com respectivamente 13,2% e 10,9% de suas capacidades estáticas, em TPB. Enquanto a Norsul opera com 24 embarcações, a Elcano opera com dez embarcações, gerando médias de 16.043 e 31.929 TPB.

A idade média da frota da Norsul é de 11 anos, “considerada baixa para os padrões da frota brasileira”, e a da Elcano, de 16,2 anos. Ambas operam com afretamento de embarcações, sendo que a primeira possui duas embarcações afretadas (8,3%) do total, enquanto que a segunda opera com quatro embarcações afretadas (40%).

Na quarta e quinta posições estão a Aliança Navegação e Logística, com dez embarcações (299.350 TPB), sendo seis afretadas, e uma participação de 10,2%, e a Mercosul Line, que conta com três embarcações, sendo uma afretada, e detém 3,6% da tonelagem da frota brasileira (105.662).

A capacidade média de transporte da Aliança é de 29.935 TPB, e a idade média das suas embarcações de 18,7 anos, acompanhando a idade média geral da frota. A Mercosul, por sua vez, detém 3,6% da tonelagem da frota brasileira, com 105.662 TPB e possui uma média de 35.221 TPB por embarcação, média superior às da Petrobras e da Elcano. A idade média de suas embarcações é de apenas 1,7 ano.

Tipos de embarcações

Por tipo de embarcação, os 38 petroleiros da frota nacional têm uma capacidade de transporte de 1.284.422 TPB, representando 43,9% da tonelagem da frota brasileira. A idade média dessa frota é de 23,8 anos.

Os graneleiros veem em segundo lugar, com 18 embarcações e uma capacidade de 709.848 TPB, equivalendo a 24,2% da tonelagem total. A idade média dos graneleiros é de 24,3 anos.

Na sequência, aparecem os porta-contêineres, com uma capacidade de 323.624 TPB, que representam 11,1% da tonelagem total, distribuídas em 12 embarcações, com idade média de apenas 12,3 anos; os cargueiros, que totalizam 150.417 TPB, distribuídas em 12 embarcações, com média de 22,3 anos, representando 5,1% do total em TPB; e os tanques químicos, cuja capacidade disponível é de 114.466 TPB, que equivalem a 3,9% do total, distribuídas em sete embarcações, com idade média de 18,7 anos.

Com as informações – ANTAQ

Por Rodrigo Cintra

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s